Europa mantém embargo a venda de armas para China

A União Européia (UE) informou à China nesta quarta-feira que irá manter o embargo de 15 anos à venda de armas ao país até que Beijing faça melhoras significativas nos direitos humanos."Nós continuamos preocupados com os direitos civis, com a liberdade de expressão, e apelamos à China para que faça parte de acordos internacionais de direitos humanos", disse a porta-voz da União Européia, Francoise le Bail. A China pede o fim do embargo imposto em 1989 após terem ocorrido sangrentos combates em protestos pró-democracia. Alemanha e França, ansiosas para vender ao país asiático, apoiavam o fim do embargo, mas outras nações da União Européia se opuseram, assim como os EUA. Washington tem ameaçado interromper a transferência de tecnologia de defesa à Europa se a UE puser fim ao embargo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.