Europa monitorará eleições na Argélia

A União Europeia lançou sua missão observadora para as eleições legislativas de 10 de maio na Argélia nesta segunda-feira, a primeira vez que o país magrebino terá as eleições monitoradas pelo bloco europeu. "Nós não iremos interferir, sem dúvida" nas eleições ou na campanha, disse José Ignácio Salafranca, membro do Parlamento Europeu. Salafranca é assessorado por nove especialistas europeus em eleições e a equipe já chegou a Argel em 30 de março. Ele disse que a equipe, que pediu uma reunião com o presidente argelino Abdelaziz Bouteflika, é paga pela União Europeia e não pela Argélia, informa a agência France Presse (AFP).

AE, Agência Estado

16 de abril de 2012 | 15h37

No total, a missão observadora será formada por 160 pessoas, incluídos diplomatas e oito deputados do Parlamento Europeu. A missão observará a Justiça, a lei e os registros eleitorais, a campanha e o papel da mídia. No total, cerca de 500 pessoas monitorarão as eleições na Argélia - 200 da União Africana, 100 da Liga Árabe, 10 das Nações Unidas e 30 da Organização de Cooperação Islâmica. A campanha eleitoral começa no próximo domingo. As eleições argelinas são vistas como um teste para as reformas, desenhadas pelo governo para evitar as revoltas que levaram a revoluções nos outros países árabes do Magreb e do Oriente Médio.

As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.