Europa pede que EUA faça novas concessões ao Irã

Países europeus pediram aos EUA que considerem vender novos aviões ao Irã como parte de um pacote de incentivos para que a República Islâmica desista de seu programa de enriquecimento de urânio, disseram nesta sexta-feira diplomatas em Washington. Grã-Bretanha, França e Alemanha, bem como o chefe da política externa da União Européia, Javier Solana, também propuseram o início de um diálogo regional sobre a questão nuclear, na esperança de que os EUA e o Irã possam iniciar conversações diretas.O pacote foi apresentado aos EUA, Rússia e China na quinta-feira, logo após sua finalização. Grã-Bretanha, França, EUA, Rússia e China são membros permanentes e com direito a veto no Conselho de Segurança da ONU, que está estudando medidas de pressão contra o Irã. Isto porque o Conselho teme que o urânio enriquecido seja usado na produção de armas atômicas.Numa tentativa anterior de acordo, em 2005, os EUA tinham aceitado vender peças de reposição para aviões de fabricação americana usados no Irã. Como o país está sob embargo dos EUA desde a Revolução Islâmica (1979), sua frota está em condições precárias. Na época, o Irã pediu a venda de aviões para modernizar sua frota.No pacote de incentivos a serem concedidos pelos europeus também está incluído um reator de água leve - menos propenso a ser usado para fabricação de armas - e a venda de combustível nuclear pelo período de cinco anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.