Europa promete apoio e dinheiro ao novo governo líbio

Os líderes da Grã-Bretanha e da França disseram nesta quinta-feira que dezenas de países do mundo prometeram apoiar o novo governo da Líbia, mas também advertiram que a luta para estabilizar o país magrebino ainda não acabou. O primeiro-ministro britânico, David Cameron, disse que a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) continuará as operações de bombardeio o quanto for necessário para proteger os civis líbios, mesmo após a derrocada do regime de Muamar Kadafi.

AE, Agência Estado

01 Setembro 2011 | 16h19

Já o presidente da França, Nicolas Sarkozy, afirmou na conferência internacional na capital francesa que "nós estamos comprometidos em devolver aos líbios o dinheiro de ontem para a construção do amanhã".

Ambos falaram após governantes e enviados de 60 países e organizações internacionais, como as Nações Unidas e a Otan, terem se reunido em Paris com o Conselho Nacional de Transição, dos rebeldes líbios, para discutir o futuro do país magrebino na era pós-Kadafi.

As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.