Europa também condena resultado eleitoral na Ucrânia

O governo holandês, que exerce a presidência rotativa da União Européia, decidiu enviar um representante a Kiev, capital da Ucrânia, para avaliar a situação, depois que as autoridades eleitorais proclamaram a vitória de Viktor Yanukovych na eleição presidencial, a despeito de diversas denúncias de fraude. A exemplo dos Estados Unidos, a UE pediu ao governo ucraniano uma recontagem de votos.Por sua vez, José Manuel Durão Barroso, presidente da Comissão Européia (órgão executivo da UE), fez duras críticas ao governo ucraniano, responsabilizando-o pelas irregularidades e fraudes eleitorais. Barroso recebe amanhã o presidente russo, Vladimir Putin, que não só reconheceu a vitória de Yanukovych como classificou de "inadmissível" as conclusões da comunidade internacional sobre o pleito ucraniano. "Vamos expor claramente nossa posição ao líder russo", adiantou Barroso. Putin, que vai debater o relacionamento econômico e político da Rússia com a UE, manteve hoje longa conversa telefônica com o chanceler alemão, Gerhard Schroeder. Ele deixou aberta a possibilidade de uma avaliação conjunta da grave situação enfrentada pelos ucranianos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.