Europa treinará soldados para confronto no Mali

Cinco países da Europa, liderados pela França, devem anunciar na quinta-feira um programa de treinamento de militares que intervirão na região do Mali sob controle da Al-Qaeda do Magreb Islâmico (AQMI) e de outros grupos extremistas. O anúncio ocorre após a decisão tomada por vários líderes políticos africanos, no domingo, que concordaram em enviar por um ano uma força tarefa de 3,3 mil soldados para reconquistar o norte do país, ocupado por islamistas radicais armados depois da queda do ditador Muamar Kadafi, na Líbia. Os fundamentalistas, que se aproveitaram do caos instalado após a secessão da região, conhecida como Azawad, pretendem instaurar a sharia (a lei islâmica) em todo o país. Para estabilizar o Mali e evitar o avanço do islamismo radical na região, 15 países da Comunidade Econômica de Estados da África do Oeste (Cedeao) concordaram em enviar soldados para a missão. / A.N.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.