Europeus estudam proposta para impasse nuclear no Irã

Um pequeno grupo de nações européias está avaliando uma proposta de compromissos para ser apresentada ao Irã como solução para um longo impasse nuclear entre Teerã e o Ocidente, segundo diplomatas europeus. A proposta deve ser feita por diplomatas suíços ao chefe das negociações nucleares iranianas, Ali Larijani, durante a 43ª Conferência de Segurança em Munique, em andamento na capital bávara, de acordo com diplomatas que pediram para não serem identificados. A proposta consiste em que seja permitido ao Irã continuar com o seu programa de infra-estrutura para enriquecimento de urânio, de forma que o país possa gerenciar as centrífugas, mas sem alimentar as máquinas com hexafluoreto de urânio processado (UF6) enquanto negocia um pacote de incentivos com seis potências mundiais. A Agência Internacional de Energia Atômica (IAEA) avaliou os riscos do funcionamento das centrífugas iranianas sob as condições propostas e concluiu, em um relatório interno obtido pela Reuters, que o país poderia obter conhecimentos técnicos sobre as máquinas, como informações sobre a durabilidade. Apesar dos iranianos provavelmente se mostrarem mais abertos à proposta, muitos diplomatas do ocidente acreditam que nem os Estados Unidos nem a Inglaterra gostariam da idéia. O ocidente teme que o Irã esteja desenvolvendo armas nucleares sob o disfarce de um projeto civil de energia e exigiu que o país suspenda o programa de enriquecimento de urânio. Em junho, Estados Unidos, Alemanha, Grã-Bretanha, França, Rússia e China se dispuseram a negociar um pacote de incentivos com Teerã caso suspendesse o programa de enriquecimento. O Irã recusou a proposta, reiterando que suas intenções eram inteiramente pacíficas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.