Europeus querem adesão dos EUA a acordo

A chefe da agência ambiental do governo norte-americano disse aos europeus nesta terça-feira que o Protocolo de Kyoto para a redução do aquecimento global "é injusto com os Estados Unidos", mas prometeu cooperar com a pesquisa de novas tecnologias e incentivos para combater as mudanças climáticas. Christie Whitman, administradora da Agência de Proteção Ambiental (APA) dos EUA, disse que o gabinete do presidente George W. Bush está revisando as políticas norte-americanas para determinar como combater a concentração de gases causadores do efeito estufa na atmosfera. "Enfatizo aos membros da comunidade européia que continuarei tão otimista quanto o presidente em relação à idéia de que, trabalhando de forma construtiva com nossos amigos e aliados por meio de processos internacionais, poderemos desenvolver tecnologias, incentivos com base no mercado e outras formas inovadoras de combate às mudanças climáticas", disse Whitman. O presidente Bush foi alvo de protestos internacionais desde quando reverteu, no mês passado, uma promessa de campanha segundo a qual o dióxido de carbono lançado no ar pelas indústrias seria considerado poluente causador do aquecimento global. Ele também disse que os Estados Unidos não mais aceitavam os cortes na emissão de dióxido de carbono e o curto calendário para o cumprimento do Protocolo de Kyoto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.