Europeus vão aos EUA para pedir explicações sobre espionagem

Parlamentares da UE e da Alemanha tentam restabelecer a confiança no governo norte-americano

Cláudia Trevisan, correspondente em Washington, O Estado de S. Paulo

30 de outubro de 2013 | 21h17

WASHINGTON - Delegações da União Europeia (UE) e, separadamente, da Alemanha reuniram-se em Washington nesta quarta-feira, 30, com representantes do governo norte-americano para discutir a atuação da inteligência dos Estados Unidos e tentar restabelecer a confiança abalada pelas revelações de que a Agência de Segurança Nacional (NSA) monitorou milhões de comunicações de europeus e grampeou o telefone da chanceler alemã, Angela Merkel.

"Queremos saber a verdade sobre isso", declarou Claude Moraes, chefe da delegação de nove parlamentares europeus. "Essa é uma questão de confiança extremamente importante entre a UE e os EUA", ressaltou.

Na terça-feira, 29, o chefe da NSA, Keith Alexander, afirmou que as reportagens sobre a espionagem de cidadãos europeus são "completamente falsas" e seus autores "não entenderam" os dados a que tiveram acesso. Segundo ele, as informações foram coletadas por agências de inteligência europeias e repassadas aos norte-americanos.

As reuniões com os europeus foram agendadas após conversa telefônica entre Barack Obama e Merkel, na semana passada, quando a líder alemã pediu explicações sobre revelações de que os EUA grampearam seu telefone.

A origem das informações são documentos obtidos pelo ex-agente da NSA Edward Snowden.

Tudo o que sabemos sobre:
espionagemnsaobamaciberespionagem

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.