"Eutanásia" nazista matou pelo menos 200.000

Cerca de 200.000 doentes mentais, deficiente físicos e outras vítimas consideradas pelos nazistas como "vidas inúteis", foram mortos pelo 3º Reich durante a Segunda Guerra Mundial, revelaram autoridades alemãs ao divulgar novos levantamentos sobre os assassinatos do período. Levantamentos estatísticos do Arquivo Federal Alemão, em um projeto de três anos, listou centenas de hospitais e clínicas na Alemanha - assim como em territórios hoje pertencentes à Áustria, Polônia e República Checa - que executavam pacientes com gás, drogas ou por inanição. Trata-se da mais ampla análise, até agora, sobre o programa nazista para o extermínio de "vidas inúteis", buscando "purificar" o povo alemão. A pesquisa inclui detalhes de registros da chancelaria de Adolf Hitler descobertos em arquivos da polícia secreta da antiga Alemanha Oriental, Stasi, depois da reunificação alemã em 1990. Muitas outras informações foram destruídas durante os bombardeios da guerra. O Arquivo Federal não está publicando os nomes das vítimas. Parentes que ainda estão procurando pistas de desaparecidos podem ser beneficiados pelo novo levantamento, acreditam as autoridades alemãs, e obter informações nas páginas oficiais do governo pela internet. O endereço eletrônico do arquivo federal alemão é: http://www.bundesarchiv.de .

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.