Evangelho Segundo Judas é publicado pela 1ª vez

Um documento trazendo o ponto de vista de Judas Iscariotes sobre a crucificação de Cristo foi publicado nesta quinta-feira, nos Estados Unidos, pela revista National Geographic. O Evangelho Segundo Judas data entre o século 3 e 4 e acredita-se que o documento, um frágil papiro de 31 páginas, seja uma cópia de um original escrito por volta de 150 d.C. O papiro foi descoberto em Beni Masar, no Egito, durante a década de 1970 e foi escrito originalmente em cóptico (antigo idioma egípcio). A única cópia do texto foi conservada, autenticada e traduzida agora para o inglês. Gnósticos O documento mostra Judas como um personagem benéfico, o favorito de Jesus, que teria colaborado com os seus planos para salvar a humanidade. Essa visão é semelhante à dos cristãos gnósticos, um grupo de religiosos do século 2° que rivalizava com a Igreja. Os gnósticos foram denunciados como hereges em 180 d.C. Eles acreditavam que Judas seria de fato o mais iluminado dos apóstolos e teria proporcionado a possibilidade da humanidade ser redimida através da morte de Cristo. Sendo assim, Judas mereceria gratidão. A visão dos gnósticos teria sido escrita em grego em um documento datado de 150 d.C. Pesquisadores cogitam a possibilidade de que o documento publicado nesta quinta-feira seja uma cópia deste texto. O Evangelho Segundo Judas foi adquirido em 2000, pela fundação suíça Maecenas Foundation for Ancient Art, que iniciou sua tradução. Acredita-se que a National Geographic tenha pago cerca de US$ 1 milhão pelos direitos de publicação.

Agencia Estado,

06 Abril 2006 | 14h02

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.