Evo defende fim dos laços militares com os EUA

O presidente da Bolívia, Evo Morales, defendeu ontem que a América Latina "rompa seus laços militares com os EUA". "Os políticos latino-americanos que aceitam uma base militar americana na região são traidores de seu país, traidores da pátria", disse Evo, na comemoração do bicentenário da Revolução de La Paz. O líder boliviano lembrou que seu governo removeu uma base dos EUA de Cochabamba e a nova Constituição proíbe a construção de novas instalações militares estrangeiras na Bolívia. A oposição boliviana, porém, acusa Evo de ter substituído a cooperação militar com os EUA por ajuda venezuelana.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.