Evo Morales descarta clima de tensão com governo americano

O presidente boliviano, Evo Morales, destacou semelhanças na política antidrogas dos Estados Unidos e de sua administração, especialmente na tese da "cocaína zero", mas admitiu persistirem diferenças a respeito da negativa boliviana para destruir plantações de coca. Segundo ele, há "coincidência na cocaína zero, e a discrepância pode ocorrer na ´coca zero´".Morales, no poder há pouco mais de um mês, encontrou três vezes o embaixador americano na Bolívia, David Greenlee, e descartou um clima tenso em relação a Washington. Ele acusou "alguns meios de comunicação de tratar de levar a um conflito". Além do embaixador, o presidente boliviano falou com George W. Bush, por telefone, e foi visitado pelo subsecretário dos EUA para Assuntos Latino-americanos, Thomas Shanon.Avaliando seu primeiro mês de governo, Morales crê que o maior problema enfrentado foi a greve de dez dias da principal companhia aérea nacional, a Lloyd Aéreo Boliviano (LAB). "Depois de buscar soluções para o tema da LAB e algumas propostas, senti que sou prisioneiro da lei, da corrupção de alguns empresários."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.