Oscar Rivera / AFP
Oscar Rivera / AFP

Evo Morales diz que FMI e EUA estão por trás de privatizações no Brasil

Presidente da Bolívia também comentou suposta influência externa na Argentina e nos protestos de Honduras

Redação, O Estado de S.Paulo

05 de junho de 2019 | 02h12

LA PAZ, BOLÍVIA - O presidente da Bolívia, Evo Morales, afirmou nesta terça-feira, 04, que o https://tudo-sobre.estadao.com.br/fmi-fundo-monetario-internacional (FMI) e os Estados Unidos estão por trás de privatizações que geram conflitos em países como o Brasil.

Após uma reunião em La Paz com a direção da Coordenadoria Nacional para a Mudança (Conalcam), um grupo de organizações vinculadas ao governo da Bolívia, Morales falou sobre "o que está acontecendo na região onde o neoliberalismo está de volta". Ele citou as mobilizações "para evitar privatizações na educação do Brasil", o desemprego na Argentina e os recentes protestos em Honduras, que afirmou estar "totalmente paralisada".

Segundo o presidente boliviano, o FMI e o "império americano só exportam conflitos", com as políticas de privatizações que possuem.

No "império", como Morales costuma se referir ao governo dos Estados Unidos, "é pobre contra rico, rico contra pobre". Em seus relatórios sobre o país e o restante do continente, o governo da Bolívia costuma questionar o FMI. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.