Evo Morales é reeleito presidente da Bolívia

O Tribunal Supremo Eleitoral da Bolívia (TSE) declarou o atual presidente do país, Evo Morales, vencedor das eleições realizadas na semana passada. A contagem de votos oficial foi concluída perto da meia-noite de sábado.

AE, Estadão Conteúdo

19 de outubro de 2014 | 11h45

De acordo com os resultados divulgados pelo TSE com 99,82% dos votos apurados, Morales, do Movimento ao Socialismo (MAS), obteve 61,04%, seguido pelo magnata do cimento Samuel Doria Medina, da aliança de centro-direita da Unidade Democrática (UD), com 24,49%.

O ex-presidente Jorge Quiroga, do Partido Democrata Cristão (PDC), ficou em terceiro lugar, com 9,07%, seguido pelo ex-prefeito de La Paz Juan del Granado, da sigla de esquerda Movimiento Sin Miedo (MSM), com 2,72%. O líder indígena do leste do país Fernando Vargas, do Partido Verde, ficou com 2,69% dos votos.

Com esse resultado, Morales, que se elegeu pela primeira vez em 2006, ganhou um terceiro mandato até 2020 e conquistou dois terços das cadeiras na Assembleia Legislativa. A oposição teme que o presidente use essa maioria para encaminhar uma emenda constitucional que autorize nova reeleição. Nos termos da Constituição atual, a nova gestão deve ser a última para o presidente. Qualquer mudança deve ser aprovada por referendo.

Em 22 de janeiro de 2015, quando assumirá o seu terceiro mandato, Morales se tornará o presidente que governou mais tempo consecutivamente desde o Marechal Andrés de Santa Cruz, fundador da pátria e um dos primeiros presidentes (1829-1839).

A presidente do TSE boliviano, Wilma Velasco, disse que não era possível fechar a contagem em 100% no momento, porque a votação será repetida no dia 26 de outubro em 49 mesas, mas os números não devem influenciar o resultado final. Fonte: Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.