Evo Morales expulsa agência norte-americana da Bolívia

O presidente da Bolívia, Evo Morales, informou, nesta quarta-feira, que está expulsando a Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID, na sigla em inglês) do país sob a alegação de "tentativa de minar seu governo de esquerda". Morales, no entanto, não especificou as ações da USAID.

Agência Estado

01 de maio de 2013 | 12h05

Morales anunciou a decisão a uma multidão do lado de fora do palácio presidencial durante a reunião do Dia do Trabalho. Ele afirmou estar protestando contra uma declaração recente do Secretário de Estado norte-americano, John Kerry, de que a América Latina seria o quintal dos Estados Unidos.

"Os Estados Unidos não carecem de instituições que continuam a conspirar, e é por isso que eu estou usando esse encontro para anunciar que decidi expulsar a USAID na Bolívia" afirmou Morales à multidão, voltando-se para seu ministro das Relações Exteriores, David Choquehuanca, e ordenando-lhe que informasse à embaixada dos EUA.

Há pouco tempo, o presidente acusou a USAID de financiar grupos que se opunham às políticas do governo, especificamente a Confederação de Povos Indígenas do Oriente da Bolívia (Cidob) que organizou protestos contra a construção da estrada em meio ao Parque Nacional Isiboro Sécure, maior reserva florestal boliviana.

Em 2008, Morales expulsou o embaixador e agentes da Força Administrativa de Narcóticos (DEA, na sigla em inglês) por, supostamente, incitar a oposição. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
BolíviaUSAIDexpulsão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.