Evo participa de marcha para pressionar Congresso

O presidente boliviano, Evo Morales, participou hoje de uma marcha com centenas de campesinos, indígenas e sindicalistas aliados de seu governo. A intenção dos manifestantes é pressionar o Congresso Nacional a aprovar uma convocatória para um referendo por uma nova Constituição no país. "É uma marcha pela refundação da Bolívia", afirmou o presidente ao dar início à caminhada, pouco antes do meio-dia. Havia um ambiente festivo, com música, comida, bandeiras e os trajes multicoloridos de campesinos de diferentes partes do país.A caminhada partiu de Caracollo, no altiplano, e percorrerá 160 quilômetros até La Paz, onde deve chegar no dia 20 de outubro. Morales afirmou que havia cinco mil pessoas e, caso o Congresso não aprove, se reunirão até ter "um milhão" delas. "É uma marcha pacífica, não de pressão, mas para fazer entender a esses grupos do Congresso, para rapidamente aprovar uma lei que permita consultar o povo sobre essa Constituição", afirmou o presidente.Aliados de Morales dominam a Câmara dos Deputados, porém o Senado é de maioria oposicionista. "Não é democrático que o Congresso tenha que debater um tema de importância sob pressão", afirmou o deputado do partido oposicionista Fernando Messmer. "(O protesto) É uma medida populista que seguramente gerará tensão no Legislativo."Os dois lados do espectro político não chegaram a um acordo para encerrar o impasse na Bolívia. Os opositores, entre eles alguns governadores, discordam do texto da nova Carta, que prevê a reeleição presidencial, limita a extensão de latifúndios e dá mais poder aos indígenas. Já os governistas refutam a demanda dos oposicionistas por mais autonomia departamental. No mês passado, a crise atingiu seu auge, em meio a violentos confrontos que deixaram 15 mortos no departamento (Estado) de Pando.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.