Evo pede investigação sobre suposto complô

O presidente boliviano, Evo Morales, confirmou ontem a existência de planos para assassiná-lo e pediu uma investigação do caso. Durante uma entrevista coletiva em La Paz, Evo ainda revelou que conseguiu se salvar "pelo menos quatro ou cinco vezes" de atentados antes de chegar à presidência, quando ainda era dirigente cocaleiro. O suposto plano de assassinato do líder boliviano foi revelado no domingo pelo seu colega venezuelano, Hugo Chávez.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.