Evo rompe contrato de construção de US$ 245 milhões com empresa brasileira

O presidente da Bolívia, Evo Morales, confirmou na quinta-feira que romperá um contrato com o consórcio boliviano-brasileiro Brabol, formado pelas empresas Petra Construtora e São Luiz Engenharia, ambas brasileiras, e pela boliviana Nubro S.A.

O Estado de S.Paulo

05 de novembro de 2011 | 03h04

O contrato é relativo à construção do segundo trecho de uma rodovia que ligará La Paz a Oruro. Evo disse que a rescisão ocorrerá porque o consórcio estava terceirizando a obra e não cumpria o cronograma.

Segundo o presidente, o valor total da obra é de US$ 245 milhões. A estrada não é a mesma que passaria pelo Território Indígena e Parque Nacional Isiboro-Secure (Tipnis), que provocou protestos no mês passado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.