Evo suspende ações antidrogas dos EUA na Bolívia

O presidente da Bolívia, Evo Morales, suspendeu por tempo indeterminado as operações da Drug Enforcement Administration (DEA, a agência de combate ao narcotráfico dos EUA) em território boliviano. Ele acusa a DEA de espionagem e de envolvimento nas ações da oposição boliviana contra seu governo, que resultaram em 19 mortes em setembro.Morales fez o anúncio hoje em Chimoré, na região central da Bolívia. Segundo ele, desde janeiro, seu governo erradicou 5.021 hectares de plantações ilegais de coca, substância usada na produção da cocaína, mas que na forma de folhas é amplamente usada pela população da Bolívia. O presidente boliviano também apelou à União das Nações Sul-Americanas (Unasul) para que a organização passe a liderar a luta contra o narcotráfico em lugar dos Estados Unidos.

AE-AP, Agencia Estado

01 de novembro de 2008 | 16h29

Tudo o que sabemos sobre:
BolíviaEUAEvo Morales

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.