Ex-agente do FBI está preso no Irã, diz <i>Financial Times</i>

Um ex-agente do FBI está sendo mantido preso por autoridades iranianas, segundo reportagem divulgada nesta sexta-feira, 13, pelo jornal Financial Times, que citou um conhecido do suposto desaparecido. Diplomatas temem que o caso de Robert Levinson possa marcar uma nova reviravolta na onda de detenções envolvendo os Estados Unidos, Reino Unido e o Irã, que começou com a prisão de cinco iranianos por forças americanos no Iraque. Washington fez um pedido oficial de informações ao Irã sobre Levinson, que teria ido para o país por causa de negócios pessoais, segundo autoridades dos EUA. Teerã diz que está tentando descobrir o que aconteceu com Levinson. Dawud Salahuddin - um cidadão americano procurado por autoridades dos EUA, acusado de assassinato em 1980 - afirmou que ele e Levinson dividiram um quarto de hotel na ilha de Kish no Golfo Pérsico em 8 de março. Autoridades iranianas em trajes civis foram até o quarto e interrogaram Salahuddin sobre seu passaporte iraniano, disse ele. Quando ele foi libertado, um dia depois, Levinson tinha desaparecido, e autoridades iranianas disseram a Salahuddin que Levinson havia deixado o país. "Eu não acho que ele esteja desaparecido, mas eu não gostaria de acusar ninguém. Algumas pessoas sabem exatamente onde ele está", disse Salahuddin ao jornal. "Ele apenas veio para me ver." Salahuddin disse que está preocupado com a saúde de Levinson, mas confiante de que "ele está sendo bem tratado" por autoridades iranianas. Ele disse que o objetivo do encontro com Levinson foi o de colocá-lo em contato com autoridades iranianas. Salahuddin poderia ajudar Levinson em sua investigação sobre contrabando de cigarros, como parte do trabalho do ex-agente do FBI para uma companhia de tabaco, de acordo com o FT.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.