Ex-agente do FBI indiciado por ajudar espiã chinesa

Um ex-agente do FBI, a polícia federal americana, foi indiciado sob acusações de grave negligência e fraude, por permitir que sua amante tivesse acesso a segredos que ela, depois, repassou à China. O indiciamento, por um grande júri, confirma as acusações contra James Smith no caso da suposta agente secreta chinesa Katrina Leung.Smith teria recrutado Leung em 1982, para ser uma agente do FBI e fornecer informações sobre a China, e os dois deram início a um caso. Os promotores dizem que Leung retirou material secreto da maleta de Smith, quando ele a visitou em casa, e passou as informações para agentes chineses. Todas as acusações contra Smith - que envolvem negligência, por ter removido material secreto do escritório, e fraude, por não ter explicado aos superiores a natureza de seu relacionamento com Leung - podem levar a uma condenação de até 40 anos.O advogado de Smith diz que ele é inocente. Os advogados de Leung dizem que não foram comunicados de nenhum indiciamento contra ela. Smith, de 59 anos, passou 30 anos no FBI, a maior parte deles como agente de contra-espionagem, especializado em China. Ele se aposentou há três anos, foi preso e solto sob fiança. Katrina Leung é uma socialite de Los Angeles, e está presa desde 9 de abril. Ela era tida como uma fonte de alta importância pelo FBI, tendo recebido, por serviços prestados, US$ 1,7 milhão. Smith e Leung são casados, mas não um com o outro. As informações são do site da BBC em português. Para ler o noticiário da BBC, que é parceira do estadao.com.br, clique aqui.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.