Ex-agentes secretos de Saddam instigam ataques, dizem EUA

Ex-agentes dos serviços secretos de Saddam Hussein estariam por trás de uma campanha de ataques no Iraque, para a qual se prepararam antes mesmo da invasão do país por forças estrangeiras lideradas pelos Estados Unidos, disse um oficial do setor americano de defesa, citando um relatório dos serviços de inteligência. O relatório cita uma célula conhecida como M-14, ou Diretório de Operações Especiais e Combate ao Terrorismo, por diversos atos de violência no pós-guerra iraquiano, disse o oficial do Departamento de Defesa (Pentágono) sob condição de anonimato. A organização ficou por conta do Mukhabarat (serviço secreto iraquiano) antes do início da invasão do país árabe, em 20 de março de 2003. Quando a queda do regime de Saddam tornou-se iminente, os oficiais do serviço secreto dispersaram-se e seguiram para diversas cidades. Atualmente, eles estariam trabalhando praticamente sem coordenação, mas acredita-se que grupos de resistência estariam sendo orientados por esses oficiais na conturbada cidade de Faluja, a oeste de Bagdá, prosseguiu a fonte.De acordo com o oficial, o relatório não traz estimativas de números de agentes do M-14 ainda à solta. O resultado desse relatório também foi publicado na edição de hoje do jornal The New York Times.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.