Reuters
Reuters

Ex-aliado de Bo Xilai é condenado a 15 anos de prisão

Tribunal sentenciou Wang Lijun por deserção, abuso de poder, corrupção e outros crimes

AE, Agência Estado

24 de setembro de 2012 | 08h45

CHENGDU - O ex-chefe de polícia que iniciou o maior escândalo político da China da última década foi condenado nesta segunda-feira, 24, a 15 anos de prisão. O tribunal da cidade de Chengdu sentenciou Wang Lijun por deserção, abuso de poder, corrupção e outros crimes que ele confessou durante o julgamento ocorrido na semana passada. Seu advogado disse que ele não ira apelar da decisão.

Veja também:

linkChina envolve Bo Xilai pela primeira vez em ação criminosa

linkChina irá julgar ex-chefe de polícia envolvido em escândalo político

forum CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK

A sentença é mais branda do que os 20 anos sugeridos pela promotoria. O júri notou a cooperação de Wang em expor os crimes de outros, especialmente o elemento central do escândalo: o assassinato de um empresário britânico cometido pela esposa do então chefe de Wang, o importante político Bo Xilai.

Em consequência das revelações de Wang, Bo foi removido da liderança do Partido Comunista chinês e sua mulher condenada à prisão perpétua. Com o fim do julgamento do ex-policial, o caso está próximo de ser encerrado e o alto escalão do Partido Comunista deverá anunciar as datas do congresso onde será feita a transição de poder no país, que ocorre há cada dez anos. Também espera-se que a liderança decida se irá meramente expulsar Bo do Partido ou se o processará criminalmente.

As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Chinajulgamentosentença

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.