Ex-aliados de Milosevic voltam ao poder na Sérvia

O novo primeiro-ministro da Sérvia, Ivica Dacic, que foi o porta-voz do ultra nacionalista Slobodan Milosevic na década de 1990, deverá ser empossado no cargo nesta quinta-feira em Belgrado. Dacic, apelidado de "pequeno Sloba" prometeu não reviver as políticas da era de Milosevic e da desintegração da Iugoslávia. Dacic disse que pressionará para a integração da Sérvia à União Europeia (UE). O governo do qual Dacic faz parte, chefiado pelo presidente Tomislav Nikolic, toma posse hoje. A posse deve encerrar três meses de impasse político que começaram após as eleições de 6 de maio.

AE, Agência Estado

26 de julho de 2012 | 14h19

Se aprovado pelo Parlamento na tarde de hoje, o novo governo sérvio marcará a primeira vez que os nacionalistas e seus aliados chegam ao poder desde os anos 1990 e desde que Milosevic foi derrubado por uma rebelião em 2000 após uma década marcada pela desintegração política, guerras civis e embargos econômicos.

Além de Dacic e Nikolic, o novo governo inclui outros políticos da década de 1990. Aleksandar Vucic, que foi ministro de Informação de Milosevic, deverá ocupar a pasta da Defesa. Todos se comprometeram a seguir uma agenda pró europeia e afirmam que os conflitos étnicos nos Bálcãs ficaram no passado.

Milosevic, morto em dezembro de 2006 por um ataque cardíaco em uma cela em Haia, onde aguardava a sentença do Tribunal Penal Internacional (TPI) por crimes de guerra na ex-Iugoslávia, foi em grande parte culpado por ter agravado os conflitos étnicos que a partir de 1991 destruíram o país balcânico, com a Guerra da Croácia, a Guerra da Bósnia e a Guerra de Kosovo. As guerras cobraram mais de 100 mil vidas e transformaram milhões de pessoas em refugiadas. Milosevic morreu um pouco antes do julgamento chegar ao fim na Holanda.

As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.