Ex-aluno quer reencontrar professora que o seduziu

A ex-professora primária Mary Kay Letourneau, de 42 anos, que passou sete anos e meio presa por manter relações sexuais com um aluno da sexta série, foi solta nesta quarta-feira. Agora com 21 anos de idade, sua vítima, o ex-aluno Vili Fualaau, quer permissão para reencontrá-la. Uma das condições para a libertação da professora foi que ela não buscasse manter contato com Fualaau, de quem teve dois filhos.Mas o advogado do ex-aluno, Scott Stewart, entrou com ação para que a ordem de evitar contato seja declarada nula. O advogado argumenta que seu cliente é um adulto com o direito de ?escolher com quais outros adultos gostaria de se associar?. A promotoria está analisando a petição, disse um porta-voz. Um amigo de Fualaau, Noel Soriano, disse a um programa de TV que o ex-aluno está ?aliviado em vê-la solta e mal pode esperar para vê-la?. A professora, que na prisão trabalhou gravando livros para cegos, quer construir uma vida normal a partir de agora, disse sua advogada. Como autora de crime sexual, Mary Kay Letourneau será obrigada a registrar seu endereço com as autoridades e se submeter a um tratamento designado pela Justiça. Seus vizinhos serão avisados.Letourneau tinha 34 anos, era casada e mãe de quatro filhos quando sua amizade com o aluno de 12 anos se transformou em flerte e em sexo. O relacionamento foi descoberto quando o marido, Steve Letourneau, encontrou cartas de amor escritas pelo menino. Depois, Steve se mudou para o Alasca com os filhos do casal e obteve um divórcio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.