Ex-alunos ganham US$110 milhões para Yale na bolsa

A Universidade de Yale pode comemorar, hoje, a eficiência de seus ensinamentos. E brindar com a extraordinária bolada que eles garantirão a seus cofres. A turma que se formou em Yale em 1954 confiou no brilho de alguns alunos em Wall Street e conseguiu transformar os US$ 75.000 de uma doação inicial em US$ 110 milhões? a maior já ofertada por uma turma da Ivy League. Quando os ganhos do Fundo de Doação 54/50 forem entregues à escola, na 50ª reunião da turma, esta semana, confirmarão uma ousadia que se mostrou absolutamente correta: o fundo foi estabelecido por sugestão do ex-aluno e gerente de aplicações em Wall Street, Richard Gilder que, ao invés de entregar o dinheiro diretamente a Yale, resolveu, com outros ex-alunos, formar um pool e investir eles próprios.?Wall Street é certamente um território de Yale?, disse Gilder hoje. ?Se a doação é de pouco valor e se temos todos esses graduados trabalhando em Wall Street, por que não ver o que cada turma pode fazer??Em 1981, cerca de 20 ex-alunos contribuíram com um total de US$ 75.000. O fundo foi gerenciado por Joe McNay, um graduado de 1956 que fundou em Boston a firma Essex Capital Management. Os investimentos tiveram uma extraordinária taxa média de retorno de 27% ao ano.McNay foi um dos primeiros a acreditar em investir nas empresas da Internet, Wal-Mart, Home Depot e outras companhias que se tornaram grandes e apostou nelas, conforme ele mesmo explicou. Para se ter uma idéia do sucesso, Donald K. Clifford Jr. Explicou que sua doação original de US$ 5.000 vale, agora, US$ 2,5 milhões.?Nós colocamos quase nada e ganhamos milhões?, ele disse na edição de hoje do New York Tomes?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.