EPA/YONHAP
EPA/YONHAP

Ex-assessor de presidente da Coreia do Sul é preso em escândalo político

An Chong-bum, que renunciou ao cargo no fim de outubro, disse que assumiria a responsabilidade por suas ações, mas não explicou o que isso significa

O Estado de S. Paulo

03 de novembro de 2016 | 11h00

SEUL - Procuradores da Coreia do Sul prenderam um ex-assessor da presidente Park Geun-hye, informou a procuradoria nesta quinta-feira, 3. Esta é a segunda pessoa detida em consequência de um escândalo de tráfico de influência que atingiu o governo do país.

Os procuradores anunciaram que estão investigando suspeitas de que o ex-assessor presidencial, An Chong-bum, e Choi Soon-sil, uma amiga de longa data da presidente, forçaram conglomerados sul-coreanos a doar recursos para organizações sem fins lucrativos usando seus laços com a presidente.

An, que era conselheiro da presidente em coordenação política até renunciar no mês passado em meio à crescente crise política, foi preso na noite de quarta-feira. Mais cedo ele disse a repórteres do lado de fora da procuradoria que assumiria a responsabilidade por suas ações, mas se recusou a elaborar.

Os advogados de An não estavam disponíveis de imediato para comentar nesta quinta-feira. Os procuradores o colocaram sob prisão sob alegação de que poderia destruir provas, disse um funcionário da procuradoria à Reuters.

Na quarta-feira, a presidente Park trocou o primeiro-ministro e o ministro das Finanças, em uma reforma denunciada pela oposição como uma tentativa de tirar a atenção da crise que levou seu índice de aprovação para a mínima histórica. / REUTERS

Tudo o que sabemos sobre:
Park Geun-hyeCoréia do Sul

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.