AFP PHOTO / MANDEL NGAN
AFP PHOTO / MANDEL NGAN

Ex-assessor de Trump trabalhou em benefício do governo turco

Michael Flynn, demitido por Trump em fevereiro, prestou consultoria para a Inova BV entre agosto e novembro de 2016, durante a campanha presidencial nos EUA; Casa Branca diz presidente americano desconhecia relação

O Estado de S. Paulo

10 de março de 2017 | 11h50

WASHINGTON - A consultoria prestada pelo ex-assessor de segurança nacional da Casa Branca, Michael Flynn, para uma companhia turca pode ter beneficiado o governo de Recep Tayyip Erdogan, algo que o presidente Donald Trump desconhecia ao escolher Flynn para o cargo, afirmou na quinta-feira o governo americano.

No dia anterior, Flynn apresentou ao Departamento de Justiça documentos que o identificavam como consultor estrangeiro por um trabalho que realizou para a empresa turca Inovo BV entre agosto e novembro de 2016, em plena campanha presidencial, e pelo qual recebeu US$ 530 mil.

De acordo com os documentos entregues por Flynn, general retirado que foi demitido em razão de seus contatos com o embaixador russo nos EUA, Serguei Kislyak, sua assessoria "pode ser interpretada em benefício principalmente da República da Turquia".

Ao ser questionado se Trump tinha conhecimento do trabalho de Flynn para o governo de Erdogan, Sean Spicer, porta-voz da Casa Branca disse "não acreditar que (o presidente americano) soubesse".

Flynn aconselhou Trump em assuntos de segurança nacional durante a campanha eleitoral - quando trabalhava também para a Inovo BV - e foi um dos primeiros nomes indicados pelo presidente americano na formação de seu gabinete, dias depois da vitória ante a democrata Hillary Clinton.

Em entrevista à Fox News o vice-presidente dos EUA, Mike Pence, afirmou que o trabalho de Flynn em benefício de Ancara é mais uma prova de que a decisão tomada por Trump ao demitir o assessor foi acertada. 

"É a primeira vez que ouço (sobre a relação de Flynn e a empresa turca), mas acredito que isto reafirma a decisão do presidente de pedir o cargo ao ex-assessor", afirmou Pence.

A Inovo BV é uma consultoria com sede na Holanda que pertence ao empresário turco Ekim Alptekin. Em sua conta no Twitter, Alptekin escreveu que a questão em torno de Flynn e da empresa fazem parte de uma "ampla campanha para desacreditar (a Inovo BV)". / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.