Ex-assessor diz que divórcio com Diana deixou Charles sem dinheiro

A falecida princesa Diana teria deixadoseu marido, o príncipe Charles, "sem um tostão no bolso" quandoambos se divorciaram, em 1996. A revelação foi feita porGeoffrey Bignell, ex-assessor financeiro do herdeiro da Coroabritânica, em matéria publicada hoje pelo jornal The SundayTelegraph. Mais: por conta de sua "penúria", Charles teve decontrair dívidas (ainda não quitadas) com sua mãe, a rainhaElizabeth II. O príncipe não quis comentar a reportagem.O casamento de Charles com a Lady Di terminou em 1992. Odivórcio, porém, foi assinado quatro anos depois, em 28 deagosto de 1996 - um ano antes de Diana morrer, com seu namoradoDodi Al Fayed, num acidente de carro em Paris. A princesarecebeu de Charles, por conta do divórcio, 17,5 milhões delibras (o equivalente a cerca de R$ 97 milhões)."Para que ele (Charles) pudesse pagar essa quantia, emdinheiro, teve de liquidar tudo, todos os seus investimentos.Diana levou todo o dinheiro dele. O príncipe não dispunha dequalquer fortuna pessoal", garantiu ao jornal o assessor, queserviu o príncipe de Gales por dez anos e acabou perdendo oemprego por conta do divórcio do "patrão."Descasado e sem dinheiro, Charles, ainda segundo Bignell,teve de recorrer à mãe, Elizabeth II, para continuar mantendo onível de vida de um nobre. Para tanto, a rainha da Inglaterraemprestou ao filho "vários milhões de libras" que o herdeiroainda está lhe devendo.Ao contrário da rainha e de seu marido, o duque de Edimburgo- sustentados pelos impostos públicos -, as receitas dosherdeiros à Coroa vêm, desde o século 14, do Ducado de Cornuália uma propriedade real, no sudoeste da Grã-Bretanha, responsávelpor investimentos financeiros.No último ano fiscal, aliás, as receitas do príncipe - quemantém um polêmico namoro com sua antiga amiga Camilla ParkerBowles - cresceu de 3,5 milhões de euros (R$ 12,8 milhões) para18 milhões de euros (R$ 66,4 milhões).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.