Oli Scarff/AP
Oli Scarff/AP

Ex-assessor era pago pela News Corp. enquanto trabalhava para Cameron

Andy Coulson, ex-editor do 'News of the World', teria recebido dinheiro do grupo de Murdoch até 2007

Efe

23 de agosto de 2011 | 11h11

LONDRES - Andy Coulson, o ex-diretor do extinto tabloide britânico News of the World, recebeu pagamentos do grupo News International - braço da News Corporation na Grã-Bretanha - mesmo após ter começado a trabalhar como assessor de comunicações do Partido Conservador britânico em julho de 2007, informa a rede BBC.

 

Um dos detidos pelo escândalo das escutas ilegais e propinas à Polícia que abalou o Reino Unido, Coulson teria recebido centenas de milhares de libras do grupo de Rupert Murdoch como indenização.

 

Segundo a BBC, os pagamentos a Coulson foram realizados em vários prazos até o fim de 2007, o que significa que ele manteve vínculo financeiro com a News International durante vários dos meses em que já trabalhava como principal assessor de comunicações do líder conservador e atual primeiro-ministro, David Cameron.

 

De acordo com membros do Governo, o Partido Conservador não tinha ciência então que Coulson recebia esses pagamentos do grupo de Murdoch.

 

A BBC indica que, depois que Coulson deixou seu cargo na News International, em 26 de janeiro de 2007, a empresa se comprometeu a pagar-lhe o salário correspondente a seus dois anos de contrato como diretor do jornal, mas esse dinheiro lhe seria entregue a prazo.

 

A emissora britânica revela que Coulson também recebeu pagamentos correspondentes a lucros da News International durante três anos e manteve o carro da empresa.

 

Coulson foi designado diretor de comunicações do Partido Conservador em 31 de maio de 2007. Assumiu o cargo em julho seguinte, pelo qual recebia 275 mil libras anuais (R$ 730,5 mil).

 

Segundo a BBC, essa revelação gera polêmica quanto à imparcialidade de Coulson para assessorar Cameron de forma imparcial sobre assuntos relacionados à imprensa quando o atual chefe do Executivo ainda estava na oposição.

 

Andy Coulson - diretor do News of the World de 2003 a 2007 - deixou seu cargo no tabloide quando o então correspondente da Casa Real Clive Goodman, um dos principais envolvidos nos grampos de telefones privados, foi detidos por quatro meses em 2007 junto ao detetive Glen Mulcaire.

 

À época, Coulson negou saber sobre essas práticas ilegais no tabloide, mas argumentou que se sentiu obrigado a renunciar, já que as escutas tinham sido cometidas enquanto ele era diretor do dominical.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.