Michael Wilson/The Ledger via AP
Michael Wilson/The Ledger via AP

Ex- atirador de elite da marinha mata 4 pessoas, incluindo um bebê, na Flórida

Bryan Riley também matou o cachorro da família e disparou sete vezes contra uma menina de 11 anos, que sobreviveu; não há nenhuma ligação conhecida entre ele e as vítimas

Redação, O Estado de S.Paulo

05 de setembro de 2021 | 20h33

LAKELAND, EUA - Um ex-atirador de elite da Marinha americana que serviu no Afeganistão matou quatro pessoas, incluindo uma criança, em duas casas nas proximidades de Lakeland, na Flórida, na madrugada deste domingo, 5. 

O atirador, que também feriu uma menina de 11 anos, se rendeu depois de ser baleado pelo menos uma vez durante duas trocas de tiros com policiais em um bairro residencial no condado de Polk,  informou o xerife Grady Judd a repórteres.

Três das vítimas - um homem de 40 anos, uma mulher de 33 anos e um menino de 3 meses que a mulher carregava nos braços - foram encontradas dentro de uma casa, disseram as autoridades. Uma quarta vítima, a avó de 62 anos da criança, foi encontrada morta a tiros em outra casa na mesma propriedade.

Os investigadores não puderam dizer imediatamente o que motivou o ataque, que, segundo eles, começou por volta das 4h30 (horário local, 5h30 no Brasil).

Eles identificaram o atirador como Bryan Riley, de 33 anos, morador de Brandon, na Flórida. Ele foi levado sob custódia por policiais que usavam equipamento tático enquanto um helicóptero pairava sobre a cena. Nenhum policial se feriu.

Judd disse em uma entrevista coletiva que Riley estava experimentando sintomas de estresse pós-traumático e usava armadura e camuflagem quando se barricou dentro de uma das casas. Não havia nenhuma conexão conhecida entre as vítimas e Riley, que trabalha como guarda-costas, disse Judd.

“Mas ele disse a certa altura aos nossos detetives: ‘Eles imploraram por suas vidas e eu os matei de qualquer maneira’”, disse Judd no domingo à tarde. “Ele é mau na carne. Ele era um animal raivoso. ”

Judd identificou o homem que foi morto como o juiz Gleason, de Lakeland, mas não divulgou os nomes das outras vítimas. Um cachorro da família também foi morto.

Enquanto Riley estava sendo tratado no pronto-socorro de um hospital, ele tentou pegar a arma de um policial e teve que ser medicado e contido, disse Judd.

A menina de 11 anos foi levada de avião para Tampa, cerca de 56 km a sudoeste de Lakeland, e deve se recuperar mesmo após receber sete tiros, disse Judd. “Ela olhou nos olhos de nossos agentes e disse:‘ Há mais três mortos na casa ’”, disse Judd. /NYT

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.