Ex-banqueiro procurado pela Justiça é extraditado ao Equador

O ex-banqueiro equatoriano Nicolás Landes Guerrero, procurado pela Justiça de seu país e detido desde o ano passado na Costa Rica, chegou ao Equador no sábado extraditado de San José, informou neste domingo Gonzalo Ponce, secretário de Comunicação da Presidência. Ele chegou ao país em um avião da Força Aérea enviado pelo governo à Costa Rica.Landes é acusado pelo delito de peculato contra o Banco Popular, um dos mais importantes do Equador, onde foi presidente-executivo de julho de 1987 até setembro de 1999. Além disso, é investigado pela justiça da Colômbia, onde também está sendo processado por crimes bancários.Uma fonte da emissora de TV local Gamavisión indicou que familiares de Landes tentaram impedir que fossem feitas imagens do ex-banqueiro em sua chegada a Quito, onde foi submetido a uma revisão médica inicial na base aérea.O ex-banqueiro foi detido em San José no dia 22 de junho de 2005 pela Polícia Internacional (Interpol), em função do processo no Equador por suposta corrupção e fraudes. Quando chegou à base aérea, o extraditado entregou um manuscrito intitulado "Comunicado de Nicolás Landes", no qual se declara "inocente".O Tribunal Terceiro Penal da província de Pichincha(Equador) iniciou, em julho, o julgamento à revelia do ex-banqueiro, por suposto peculato (desvio de fundos públicos).O equatoriano foi detido no aeroporto Tobías Bolaños, ao oeste de San José, quando tentava viajar às Ilhas Cayman com o passaporte de um costarriquenho que morreu em 1993.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.