Ex-candidata a vice reafirma declaração polêmica sobre Obama

A ex-candidata à vice-presidênciados Estados Unidos Geraldine Ferraro reafirmou, nestaquarta-feira, sua declaração de que o pré-candidato democrataBarack Obama só chegou aonde chegou por ser negro e disse que areação da campanha dele às palavras dela estava dividindo opartido. "Meus comentários foram tirados do contexto de uma formatal e tachados de racista pelos assessores de Obama de umaforma tal que estão fazendo precisamente o que eles não desejam-- estão reverberando no Partido Democrata e dividindo-nosainda mais", afirmou Ferraro, em entrevista concedida ao canalABC. Ferraro, candidata democrata à vice-presidência em 1984 e aúnica mulher a ter participado da corrida presidencial nadisputa por um dos dois maiores cargos do país, deflagrou apolêmica ao dizer, para um jornal da Califórnia, que, "se Obamafosse branco, ele não estaria onde está hoje". "E, se ele fosse mulher, ele não estaria onde está hoje. Ofato é que ele tem muita sorte de ser quem é. E o paísdeixou-se seduzir por essa idéia", afirmou Ferraro. A ex-candidata, que dá apoio à pré-candidata HillaryClinton, adversária de Obama na corrida pela vaga do PartidoDemocrata nas eleições presidenciais de novembro, confirmou àrede ABC o teor de sua declaração e disse ter ficado ofendidacom a reação dos assessores de Obama, os quais acuaram-na deser racista. Ferraro afirmou lutar há 40 anos contra os preconceitos. "Eu fiquei preocupada com a forma como fui tratada eindignada com o fato de que eles distorceram isso para dar aentender que eu seja, de alguma forma, racista", disse. Ao ser questionado sobre as declarações de Ferraro, Obamarespondeu que ser um "homem afro-americano chamado BarackObama" não representava o caminho mais curto para se chegar àPresidência dos EUA. "Qualquer um ciente da história deste país não levaria asério, acredito, a idéia de que isso tem sido uma grandevantagem. Mas não acho, tampouco, que isso seja umadesvantagem", afirmou o pré-candidato. Obama, que pode se transformar no primeiro presidente negrodos EUA, serviu-se do amplo apoio do eleitorado negro paravencer as prévias de terça-feira no Mississippi, aumentando suavantagem sobre Hillary quanto ao número de delegados que cadaum elegeu para a convenção em que o Partido Democrataescolherá, em agosto, seu candidato. Obama, senador pelo Estado do Illinois, também tinhavencido no sábado, em Wyoming. Hillary, que se tornaria a primeira mulher a ocupar aPresidência dos EUA, disse na terça-feira não concordar com oscomentários de Ferraro e considerou-os "lamentáveis". Mas os aliados de Obama acusaram-na de ter dois pesos eduas medidas, porque a pré-candidata não teria repreendidoFerraro e não teria afastado a assessora de sua campanha. Uma assessora de Obama para questões de política externarenunciou na semana passada após afirmar a um jornal britânicoque Hillary era "um monstro". (Reportagem de Donna Smith)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.