Ex-capital na Guerra Civil, Virgínia retoma status de ‘front’

Estado-chave vizinho à capital foi alvo de intensa campanha nos últimos meses; Romney tem 47,9% e Obama, 47,4%

Denise Chrispim Marin / ENVIADA ESPECIAL / RICHMOND, EUA,

03 de novembro de 2012 | 21h02

 

A bandeira dos Estados Confederados fica hasteada na sede de governo da Virgínia, em Richmond, a última capital dos sulistas durante a Guerra Civil Americana (1861-1865). Nesta eleição, para a escolha do 45.º presidente dos EUA, a Virgínia virou de novo palco de combate. O democrata Barack Obama tem nesse terreno 47,4% das intenções de voto. Seu desafiador republicano, Mitt Romney, 47,9%.

 

O empate técnico fez do Estado, com 13 delegados no Colégio Eleitoral, destino de recorrentes visitas dos candidatos. Obama fez corpo a corpo com o eleitorado de duas cidades da Virgínia ontem. Dois dias antes, Romney dedicara-se a comícios em três outras cidades da região. O desafio, mais do que atrair os 4,7% de indecisos, é levar o eleitor já conquistado às urnas na terça-feira.

A campanha republicana trabalhou com a premissa de que Obama alcançou seu recorde de popularidade em 2008 e não mais a repetiria na Virgínia, em 2012.

Há quatro anos, o atual presidente foi o primeiro democrata a vencer uma eleição nesse Estado desde Lyndon Johnson, em 1965. Sua campanha se agarrou ao fato de o eleitor da Virgínia, apesar de amplamente conservador em questões fiscais, olhar com boa vontade as prioridades de seu governo na área social. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.