REUTERS/Brian Snyder
REUTERS/Brian Snyder

Ex-CEO da HP Carly Fiorina entra na corrida presidencial dos EUA

Executiva é a única mulher a disputar a indicação republicana à disputa pela Casa Branca; neurocirurgião também deve oficializar candidatura nesta segunda-feira

O Estado de S. Paulo

04 de maio de 2015 | 10h37

WASHINGTON - A ex-presidente da Hewlett-Packard Carly Fiorina anunciou nesta segunda-feira, 4, que concorrerá à indicação do Partido Republicano para disputar a Presidência dos Estados Unidos em 2016, se tornando a única mulher entre os pré-candidatos republicanos à Casa Branca.

Uma das mulheres mais poderosas no mundo corporativo norte-americano, Carly anunciou a pré-candidatura no programa da rede ABC News "Good Morning America". "Sim, estou concorrendo à Presidência. Acho que sou a melhor pessoa para o cargo porque entendo como a economia realmente funciona. Entendo o mundo, quem está nele, como o mundo funciona", disse.


Carly está entre os últimos colocados nas pesquisas entre cerca de uma dúzia de possíveis candidatos republicanos, e nunca ocupou um cargo público. Mas a possível candidata já atraiu calorosas recepções em eventos em Iowa, onde está se posicionando como conservadora, pró-negócios e altamente crítica à pré-candidata democrata Hillary Clinton.

Carly foi forçada pela HP a pedir demissão em 2005, enquanto a companhia de tecnologia sofria para incorporar a Compaq após uma fusão de US$ 19 bilhões.

Concorrentes. Além de Fiorina, o famoso neurocirurgião Ben Carson deve confirmar sua pré-candidatura à presidência pelo Partido Republicano nesta segunda. Carson será o primeiro afro-americano a disputar a indicação do partido. O anúncio oficial será em sua cidade natal, Detroit.

A imprensa americana diz ainda que na terça-feira o ex-governador de Arkansas Mike Huckabee também fará seu anúncio. Huckabee, reverendo batista e personagem televisivo, apresentará sua candidatura em um ato em sua cidade natal, Hope, no Arkansas.

Huckabee já concorreu em 2008 nas primárias republicanas, quando obteve a vitória no caucus de Iowa, e mostrou sua forte conexão com o eleitorado evangélico rural, mas perdeu impulso ao tentar ganhar o setor mais moderado do eleitorado.

Outros três pré-candidatos já estão em campanha: os senadores Rand Paul (Kentucky), Ted Cruz (Texas) e Marco Rubio (Flórida).

Apesar dos analistas não darem muitas possibilidades de vitória a Fiorina, Carson e Huckabee, assinalaram que a entrada na disputa é um reflexo da diversidade de propostas que conformarão as primárias republicanas.

Alguns pesos pesados dos conservadores que são cotados para a corrida à Casa Branca ainda não se pronunciaram, como o ex-governador da Flórida, Jeb Bush, e o governador de Wisconsin, Scott Walker, que são considerados os favoritos.

Pelo lado democrata, a lista é mais reduzida, com só dois pré-candidatos por enquanto: a ex-secretária de Estado, Hillary Clinton, e o senador independente por Vermont, Bernie Sanders, que se autodefine como socialista. / REUTERS e EFE

Tudo o que sabemos sobre:
EUAEleição presidencial

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.