Ex-chanceler alemão defende relacionamento com Putin

O ex-primeiro-ministro da Alemanha Gerhard Schröder disse que o Ocidente deveria parar com as ameaças de sanções contra a Rússia e mostrar mais compreensão com as preocupações russas.

AE, Agência Estado

11 Maio 2014 | 22h25

No mês passado, Schröder foi duramente criticado por convidar o presidente Vladimir Putin para sua festa de aniversário em São Petersburgo e por recebê-lo com um forte abraço. "É assim que nós nos cumprimentamos desde que eu conheço Vladimir Putin, há mais de 14 anos. Eu não vou mudar isso, mesmo em tempos difíceis", disse em entrevista publicada pelo jornal alemão Welt am Sonntag.

Schröder explicou que comemorar seu 70º aniversário em São Petersburgo foi uma ideia própria e que não informou a chanceler Angela Merkel. O ex-premiê também afirmou que a conversa com Putin no evento influenciou os separatistas do leste da Ucrânia a liberarem os reféns alemães.

A recepção em São Petersburgo foi organizada pela Nord Stream, controladora da OAO Gazprom. Schröder é o presidente do comitê de acionistas da empresa.

Na entrevista, Schröder culpou a União Europeia pela crise na Ucrânia. Segundo o ex-premiê, os europeus forçaram o profundamente dividido país a escolher entre a Europa e a Rússia nas negociações de um pacto político e comercial no ano passado. Fonte: Dow Jones Newswires.

Mais conteúdo sobre:
Alemanha rússia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.