Ronaldo Schemidt/AFP
Ronaldo Schemidt/AFP

Ex-chefão do cartel mexicano de Juárez pega 28 anos de prisão

Vicente Carrillo Fuentes, de 58 anos, foi preso em outubro de 2014 no Estado de Coahuila; sob sua liderança, o grupo travou uma guerra sangrenta com o Cartel de Sinaloa

Redação, O Estado de S.Paulo

14 de setembro de 2021 | 18h35

CIDADE DO MÉXICO - Vicente Carrillo Fuentes, ex-líder do Cartel de Juárez, capturado em 2014 e conhecido como “El Viceroy”, foi sentenciado nesta terça-feira, 14, a 28 anos de prisão por narcotráfico e crime organizado, informou a Procuradoria-Geral do México

Ele é irmão de Amado Carrillo Fuentes, fundador do Cartel de Juárez, conhecido como “O Senhor dos Céus”, morto em 1997 durante uma cirurgia plástica para mudar sua aparência e escapar das autoridades mexicanas e americanas. 

O Cartel de Juárez, com sede em Chihuahua, controlou uma grande porcentagem do tráfico de cocaína do México para os EUA, mas perdeu seu protagonismo após a morte de Amado Carrillo Fuentes, que contava com contatos no alto escalão do governo, e por causa do rival Cartel de Sinaloa. 

Carrillo, de 58 anos, foi preso em outubro de 2014 no Estado de Coahuila. Os EUA chegaram a oferecer uma recompensa de US$ 2,2 milhões por sua captura. 

Após a morte de Amado Carrillo Fuentes, ele assumiu o controle da organização que também opera em Ciudad Juárez (norte), na fronteira com El Paso, nos EUA.

Sob sua liderança, o Cartel de Juárez travou uma guerra sangrenta com o Cartel de Sinaloa, de Joaquín "El Chapo" Guzmán, sentenciado à prisão perpétua nos EUA. 

Essas lutas em Juárez e outras partes do país levaram o governo federal a implantar uma polêmica operação militar antidrogas em dezembro de 2006.

Desde então, mais de 300 mil pessoas foram assassinadas no México, de acordo com números oficiais que relacionam a maioria desses eventos a ajustes de contas do crime organizado.

O Cartel de Juárez é um dos grupos criminosos mais antigos do país, mas sua influência diminuiu e agora os mais poderosos são os de Sinaloa e Jalisco Nueva Generación./COM AFP 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.