Uriel Sinai/The New York Times
Uriel Sinai/The New York Times

Ex-colaborador de Netanyahu aceita depor contra ele em caso de corrupção

Nir Hefetz assinou um acordo com os investigadores que confere a ele a condição de 'testemunha de Estado', uma espécie de delação premiada

O Estado de S.Paulo

05 Março 2018 | 12h23

TEL-AVIV  - Um ex-porta-voz do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu aceitou testemunhar contra ele em uma das investigações por corrupção, informou a imprensa de Israel nesta segunda-feira.

+ Polícia vai à residência de Netanyahu para ouvir depoimento de premiê sobre casos de corrupção

O acordo entre Nir Hefetz, ex-porta-voz de Netanyahu, e os investigadores foi divulgado poucas horas antes da reunião, prevista em Washington, entre Netanyahu e o presidente Donald Trump.

Nir Hefetz assinou um acordo com os investigadores que confere a ele a condição de "testemunha de Estado", uma espécie de delação premiada no caso denominado Bezeq, nome do maior grupo israelense de telecomunicações.

+ Entenda os escândalos nos quais Netanyahu está envolvido

A polícia quer saber se os Netanyahu tentaram se assegurar de uma cobertura favorável por parte do site de notícias Walla em troca de favores governamentais que podem ter beneficiado em milhões de dólares o grupo Bezeq, segundo a imprensa. 

Walla é propriedade de Shaul Elovitch, principal acionista do Bezeq.

Nir Hefetz é o terceiro e o mais antigo assessor de Netanyahu que aceita coopera com os investigadores em ao menos seis casos que envolvem direta ou indiretamente o primeiro-ministro, que sempre proclamou sua inocência./ AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.