REUTERS/Kham/Pool
REUTERS/Kham/Pool

Ex-comentarista político é condenado a 7 anos de prisão por criticar líder de Mianmar

Ngar Min Swe, ex-analista político ligado à junta birmanesa, usou rede social para criticar o fato de o ex-presidente dos EUA Barack Obama ter beijado Aung San Suu Kyi na bochecha durante visita ao país em 2014, o que considerou uma ofensa à cultura birmanesa

O Estado de S.Paulo

19 Setembro 2018 | 11h14

YANGON, MIANMAR - Um ex-analista político ligado à junta birmanesa foi condenado a sete anos de prisão por criticar no Facebook a Prêmio Nobel da Paz, Aung San Suu Kyi, informou uma fonte judicial nesta quarta-feira, 19.

Ngar Min Swe foi condenado na terça-feira por "sedição e por escrever artigos abusivos no Facebook contra a conselheira de Estado Aung San Suu Kyi, dando às pessoas falsas ideias sobre ela", declarou Htay Aung, porta-voz do Tribunal do Distrito Oeste de Yangun.

O analista escrevia no jornal oficial de Mianmar Global New Light no período em que a junta militar comandava o país e é conhecido há anos por suas críticas à ex-dissidente, que está no poder desde o início de 2016.

No Facebook, ele criticou muito o fato de que o então presidente americano Barack Obama deu um beijo na bochecha de Aung San Suu Kyi durante sua visita em 2014, e denunciou isso como uma ofensa à cultura birmanesa muito reservada. 

Este caso vem à meio crise da minoria muçulmana dos rohingya, denunciada pela ONU como um genocídio do Exército birmanês, pelo qual Suu Kyi é muito criticada.

Além disso, na semana passada a líder birmanesa disse durante fórum no Vietnã que foi correta a prisão de dois jornalistas da agência Reuters que investigavam o massacre dos rohingyas. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.