Ex-deputada opositora é indiciada por 'conspiração' para assassinar Maduro

Ex-deputada opositora é indiciada por 'conspiração' para assassinar Maduro

De acordo com o Ministério Público, María Corina Machado está envolvida em plano para matar o presidente venezuelano

O Estado de S.Paulo

03 de dezembro de 2014 | 16h06


 CARACAS - O Ministério Público da Venezuela indiciou nesta quarta-feira, 3, a ex-deputada María Corina Machado, opositora de linha-dura ao governo do presidente Nicolás Maduro, por envolvimento em um plano para assassinar o líder que sucedeu Hugo Chávez na presidência do país. 

A ex-parlamentar, cassada em março pela Assembleia Nacional venezuelana, tinha ido à Promotoria depor sobre o caso e foi acusada pelo “delito de conspiração”, por “supostamente ter vinculação com o plano magnicida contra o presidente” – de acordo com um comunicado do Ministério Público venezuelano.

Não ficou imediatamente claro se María Corina enfrentará julgamento por conspiração, crime que prevê pena de 8 a 16 anos de prisão na Venezuela, em liberdade ou atrás das grades. Mas a ex-deputada saiu livre da sede da Promotoria venezuelana em Caracas. / REUTERS  e AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.