Ex-deputado americano envolvido em escândalo é investigado

As autoridades da Flórida abriram uma investigação criminal para determinar se o ex-representante Mark Foley infringiu alguma lei com as mensagens de conteúdo sexual que enviou a estagiários menores de idade que trabalham no Congresso americano. Kristen Perezluha, porta-voz do Departamento do Cumprimento da Lei da Flórida (FDLE, sigla em inglês), disse que encontrou elementos para começar a investigação, mas não forneceu detalhes. Foley, que presidia na Câmara de Representantes um grupo de defesa de menores desaparecidos ou explorados, renunciou dia 29 de setembro, devido ao escândalo das mensagens enviadas por e-mail aos estagiários. Em seguida, internou-se numa clínica de reabilitação para tratar de um suposto problema com o álcool. Foley disse, depois da revelação do conteúdo dos e-mails, que sofreu abuso sexual por parte do sacerdote católico Anthony Mercieca, quando era menor de idade. Merciega, de 72 anos, reconheceu que ficou nu, numa sauna, com Foley, há 40 anos. Mas negou ter mantido relações sexuais com o ex-legislador. As revelações do sacerdote abalaram a Arquidiocese, que qualificou o comportamento como "moralmente censurável e indesculpável".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.