Christian Escobar Mora/AP
Christian Escobar Mora/AP

Ex-deputado e ex-refém das Farc é preso, suspeito da morte de 11 colegas

Sigifredo López foi sequestrado, em 2002, junto com outros 11 deputados, que acabaram mortos

EFE,

17 Maio 2012 | 05h18

SÃO PAULO - As autoridades colombianas detiveram nesta quarta-feira, 16, o ex-deputado e ex-refém das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), Sigifredo López, por sua suposta responsabilidade no sequestro e posterior assassinato de 11 membros da Assembleia Legislativa do departamento do Valle del Cauca, crimes cometidos pela guerrilha.

Veja também:

link Para historiador com laços com as Farc, guerrilha está em 'renovação'

Comunicado da Procuradoria indica que o ex-deputado foi detido por agentes do Corpo Técnico de Investigação (CTI) em Cali, capital do departamento do Valle del Cauca. López, do Partido Liberal (PL), será levado a Bogotá, onde um promotor de instrução decidirá sobre sua situação jurídica.

 

O documento acrescenta que o ex-deputado também está sendo processado pelo homicídio de um policial no dia 11 de abril de 2002, quando um grupo das Farc cometeu o sequestro em massa na Assembleia do Valle, em plena luz do dia.

 

Naquele dia, o oficial foi degolado por integrantes do comando guerrilheiro que invadiram a Assembleia departamental disfarçados de militares e levaram os 12 deputados (entre eles López). Era o início de um sequestro que duraria seis anos. As Farc assassinaram os 11 deputados regionais em junho de 2007.

 

Os 11 deputados morreram de forma ainda não esclarecida durante o cativeiro, enquanto López, o único sobrevivente, foi libertado pela guerrilha em fevereiro de 2009 graças às gestões da ex-senadora Piedad Córdoba.

 

López relatou que não morreu como seus colegas de Assembleia porque não estava no acampamento guerrilheiro no momento dos assassinatos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.