Ex-deputado paquistanês é acusado de tramar morte de refém

Engenheiro polonês Piotr Stanczak foi sequestrado e executado de 2008 pelos talebans

EFE

26 de julho de 2009 | 06h50

O ex-deputado islâmico paquistanês Shah Abdul Aziz foi detido acusado de envolvimento no assassinato do engenheiro polonês Piotr Stanczak, executado no começo de fevereiro pelos talebans após quatro meses de cativeiro, informou neste domingo o canal de televisão "Dawn".

 

A Polícia de Islamabad informou aos tribunais que o ex-legislador, após ser detido, já deu detalhes sobre o sequestro e o assassinato de Stanczak, segundo a "Dawn". Aziz, junto a outro suspeito, foi levado pela Polícia a uma Corte antiterrorista para prestar depoimento.

 

O ex-deputado da aliança islâmica Muttahida Majlis-e-Amal (MMA), eleito em 2002, foi visto pela última vez em maio, quando se reuniu com o clérigo radical da Mesquita Vermelha de Islamabad, também chamado Abdul Aziz. O engenheiro foi sequestrado em setembro de 2008 pelos talebans, que o executaram após mais de quatro meses em cativeiro ao comprovar que as autoridades não aceitavam suas exigências.

 

Os insurgentes divulgaram um vídeo que mostrava a decapitação e no qual o engenheiro pedia ao Governo polonês que retirasse as tropas desdobradas no Afeganistão e que rompesse relações diplomáticas com o Paquistão. Segundo "Dawn", o outro detido, identificado como Ataulah, assegurou à Polícia que o ex-deputado sugeriu a um comandante taleban sequestrar o engenheiro para arrancar do Governo a libertação de vários insurgentes islâmicos.

Tudo o que sabemos sobre:
ISLAMABADTALEBANS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.