Ex-detento mata três policiais e fere um na Califórnia

Um ex-prisioneiro em liberdade condicional matou três policiais e feriu outro gravemente em um ataque perpetrado no sábado na cidade californiana de Oakland. A polícia local chegou a informar neste domingo que o policial ferido tinha morrido. Horas depois, no entanto, a polícia de Oakland voltou atrás e informou que o oficial teve a morte cerebral confirmada, mas que seu corpo será mantido vivo com a ajuda de aparelhos até que seja tomada uma decisão referente à doação de órgãos.

EQUIPE AE, Agencia Estado

22 de março de 2009 | 19h55

A violência começou quando dois oficiais pararam um carro em Oakland para uma blitz de rotina. O motorista abriu fogo contra eles, matando um e deixando o outro gravemente ferido. Segundo a polícia, o atirador fugiu a pé, dando início a uma perseguição que envolveu dezenas de soldados. Ruas foram isoladas, e uma área inteira da cidade foi fechada para o tráfego. Cerca de duas horas e meia mais tarde, soldados encontraram o fugitivo encurralado dentro de um prédio de apartamento. A polícia disse que ele disparou um rifle, matando dois agentes da Swat, força de elite das forças norte-americanas de segurança.

Os soldados contra-atacaram, matando o homem identificado como Lovelle Mixon, de 26 anos, de Oakland. Os oficiais mortos foram identificados como os sargentos Mark Dunakin, de 40 anos, Ervin Romans, de 43, e Daniel Sakai, de 35. O oficial John Hege, de 41 anos, ficou gravemente ferido e teve morte cerebral, mas seu corpo está vivo com a ajuda de aparelhos, disse Jeff Thomason, porta-voz da polícia local. "Este é provavelmente um dos incidentes mais graves da história do departamento de polícia de Oakland", afirmou o porta-voz. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
EUACalifórniaataque

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.