Ex-detentos de Guantánamo são julgados no Marrocos

Um suposto ex-guarda-costas de Osama bin Laden e quatro outros cidadãos marroquinos, ex-detentos da prisão americana em Guantánamo, compareceram Aum tribunal marroquino nesta segunda-feira. Presos no Paquistão e no Afeganistão em 2001, os cinco são acusados de envolvimento em terrorismo e de ameaçar a segurança do Estado.A pena máxima, em caso de condenação, é a morte, mas o Marrocos não executa nenhum condenado desde 1993. Depois de uma audiência de uma hora, hoje, a corte em Rabat marcou o julgamento para o dia 3 de janeiro.Um dos acusados é Abdellah Tabarak, acusado por autoridades dos Estados Unidos de ter servido como guarda-costas de Bin Laden, líder da rede terrorista Al-Qaeda, informam autoridades marroquinas. Mas o advogado de Tabarak, Abdelfettah Zarach, negou qualquer conexão entre seu cliente e o terrorista saudita.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.