AP Photo/Bob Leverone
AP Photo/Bob Leverone

Ex-diretor da CIA é condenado a 2 anos de condicional por vazar segredos militares a amante

O general David Petraeus teve sua carreira destruída ao envolver-se em um caso extraconjugal com Paula, sua biógrafa, e repassar a ela informações confidenciais enquanto ela trabalhava em seu livro

O Estado de S. Paulo

23 de abril de 2015 | 16h36

WASHINGTON - O ex-diretor da CIA David Petraeus foi sentenciado nesta quinta-feira, 23, a 2 anos de liberdade condicional e a pagar uma multa de US$ 100 mil por revelar segredos militares a sua então amante Paula Broadwell, em 2011.

O general teve sua carreira destruída ao envolver-se em um caso extraconjugal com Paula, sua biógrafa, e repassar a ela informações confidenciais enquanto ela trabalhava em seu livro. 


A sentença desta quinta-feira foi anunciada dois meses depois que Petraeus fez um acordo no qual se declarou culpado por mau comportamento e remover e reter, seu autorização, material confidencial. 

O acordo de confissão deixava em aberto a possibilidade de uma sentença de até 1 ano de prisão. No processo, os procuradores recomendaram 2 anos de liberdade vigiada e uma multa de US$ 40 mil, mas o juiz decidiu aumentar a multa. O acordo foi negociado na corte federal de Charlotte, onde Paula vive com o marido e os filhos. / AP

Tudo o que sabemos sobre:
David PetraeusPaula Broadwell

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.