Ex-dirigente do Sinn Fein é encontrado morto na Irlanda

Um ex-dirigente do Sinn Fein, o braço político do proscrito Exército Republicano Irlandês (IRA), Denis Donaldson, foi encontrado morto no noroeste da República da Irlanda, informou nesta terça-feira a polícia local. Donaldson, ex-diretor legislativo do Sinn Fein no fracassado governo compartilhado da Irlanda do Norte, havia admitido em dezembro que espionava para o serviço secreto britânico e para a polícia antiterrorista da província há duas décadas. Depois disso, se ocultou, já que o castigo tradicional do IRA para casos de traição é a morte. Logo após o anúncio da morte de Donaldson, o IRA negou qualquer relação com o caso. A polícia da República da Irlanda não deixou claro se Donaldson, de 55 anos, foi assassinado ou cometeu suicídio. A polícia afirmou que o local onde o cadáver de Donaldson foi encontrado, em Glentis, condado de Donegal, foi isolado para que os agentes judiciais realizassem suas pesquisas. Mas um detetive da polícia irlandesa, que falou à agência Associated Press com a condição de anonimato, disse que Donaldson foi baleado por outra pessoa. Disse também que o cadáver foi encontrado em uma casa semi-abandonada, onde vivia sozinho nas últimas semanas. No parlamento da Irlanda, o primeiro-ministro Bertie Ahern condenou "este brutal atentado". "Esperamos que os responsáveis por esta ação cruel compareçam diante da Justiça o mais rápido possível", afirmou.

Agencia Estado,

04 Abril 2006 | 19h46

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.