Ex-dirigente no setor nuclear da China é condenado por corrupção

Um ex-presidente da principal empresa chinesa de energia nuclear foi condenado nesta sexta-feira à prisão perpétua por ter recebido subornos, disse a agência de notícias estatal Xinhua.

BENJAMIN KANG LIM, REUTERS

19 de novembro de 2010 | 08h31

Kang Rixin, de 57 anos, "foi condenado por ter abusado do seu poder, permitindo lucros para terceiros, recebendo enormes subornos", informou a Xinhua, citando um tribunal de Pequim.

Em outubro, o ex-executivo da Corporação Nuclear Nacional da China já havia sido desligado do Partido Comunista, no qual chegou a participar do influente Comitê Central, com um cargo equivalente ao de ministro de Estado.

Ele é o segundo funcionário de uma estatal energética a ser punido por corrupção neste ano.

Em agosto, Jiang Xinsheng, ex-presidente da Corporação Nacional de Importação e Exportação Técnica, que constrói usinas nucleares, foi condenado a 20 anos de prisão por divulgar segredos de Estado em meio a uma licitação para a venda de reatores nucleares, segundo a Reuters apurou.

A imprensa chinesa não noticiou a condenação de Jiang, aparentemente por envolver segredos de Estado.

Em outro escândalo de corrupção, Li Haitao, que supervisionava o patrimônio cultural de uma antiga mansão imperial em Chengde (norte), foi executado nesta sexta-feira, depois de ser condenado por roubar e vender relíquias culturais.

Tudo o que sabemos sobre:
CHINANUCLEARPRISAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.