Ex-ditador começa a ser julgado por genocídio

Começou ontem o julgamento do ex-ditador guatemalteco Efraín Ríos Montt, acusado de genocídio durante seu regime (1982-1983), crime pelo qual pode ser condenado a 50 anos de prisão. Ríos Montt, de 86 anos, será julgado pela execução de 1.771 indígenas maias durante seu mandato, o mais sangrento da guerra que, entre 1960 e 1996 deixou 200 mil mortos e desaparecidos, segundo a ONU.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.